Qual a diferença entre cobrança judicial e extrajudicial?




A ação judicial e a negociação extrajudicial são formas de solucionar conflitos financeiros entre empresa e cliente ou consumidor. Segundo o site Agência Brasil, o endividamento e a inadimplência cresceram no país em agosto, e esse aumento atingiu 67,5% das famílias brasileiras.


Em tese, apenas uma conversa amigável poderia ser o suficiente para a resolução dos problemas, mas em muitas situações é procurado o Poder Jurídico para a solução dos mesmos.


Conhecer a diferença entre essas duas maneiras de fazer com que os seus clientes quitem as suas dívidas é essencial para qualquer empresa. Especialmente para aquelas que sofrem com os índices elevados de inadimplência.


Continue lendo para saber tudo sobre cobrança judicial e extrajudicial:


O que é a Cobrança Extrajudicial?


Por tornar possível o diálogo entre credor e devedor para que a dívida seja paga, a cobrança extrajudicial é também chamada de “cobrança amigável”.


Este tipo de cobrança é um acordo realizado entre o credor e o devedor sem a participação do poder Judiciário. Ou seja, uma abordagem amigável e estratégica que visa entender a situação de cada cliente, e dessa forma, oferecer oportunidades de quitação do débito, seja por parcelamento, seja por pagamento integral.


Segundo a Comax, um dos principais objetivos da cobrança amigável, além de resgatar o crédito inadimplente é aumentar o bom relacionamento com o cliente e manter seu poder de compra. Por isso é fundamental estar disposto a negociar.


No entanto, o interesse de quitação neste processo é de ambas as partes, visto que o procedimento da Cobrança Judicial é considerado desgastante para todos os envolvidos, devido aos custos financeiros e psicológico também, de ambas as partes.


O que é a Cobrança Judicial?


Já na cobrança judicial, o credor move uma ação na Justiça para que esta acione o devedor a fazer o pagamento de sua dívida.


Enquanto nas Negociações Extrajudiciais, tudo é resolvido de forma amigável e longe do Poder Jurídico, a ação judicial necessariamente precisa passar por todos os trâmites de um processo, inclusive com a presença de um Juiz para julgamento do caso.


Normalmente a cobrança judicial é utilizada quando o credor já esgotou as possibilidades de cobrança extrajudicial e não teve resposta do devedor, ou então, o devedor não efetuou o pagamento.


Leia também: Qual o papel do advogado na recuperação judicial?