Novo recurso de empréstimo para empresas endividadas



O governo elaborou uma medida provisória para permitir que empresas com dívidas com o governo federal possam tomar empréstimos durante a pandemia do coronavírus. O que isso significa?


Quando pensamos no termo endividamento, sempre é relacionado a algo

negativo. Mas nem sempre ter dívidas é um problema. Se o endividamento foi feito

para financiar o crescimento e o desenvolvimento da empresa, gerando um aumento no faturamento, será um endividamento saudável.


Segundo o Sebrae, se a ideia é implantar melhorias no negócio, crescer, dar um passo adiante e não há recursos em caixa para tornar a iniciativa viável, um empréstimo pode ser a solução. A diferença é saber financiar o empreendimento da melhor maneira possível, sem colocar em risco seu futuro por assumir um compromisso que não poderá ser honrado.


Como saber se sua empresa pode ou não pegar um empréstimo?


Calcular o índice de endividamento tem como objetivo mostrar o grau de endividamento da empresa, ou seja, quanto a empresa depende de empréstimos/financiamentos para o funcionamento da operação:


Índice de endividamento = Total de passivos x100

Total de ativos


Lembrando que Passivo refere-se a deveres e obrigações, ou seja, é a soma do valor das contas a pagar aos fornecedores, empréstimos, financiamentos e impostos.


Já os Ativos referem-se a bens e direitos, ou seja, é a soma dos saldos disponíveis

em caixa e bancos, contas a receber e estoques.


Quanto maior for o índice encontrado, maior será o endividamento da empresa, o que pode ser prejudicial pois haverá grande dependência de recursos de terceiros no negócio.


Exemplo:

Total de Passivos = R$ 88.000,00

Total de Ativos = R$ 125.000,00

88.000 / 125.000 = 0,70

Portanto, em percentual temos: Índice = 70%


Neste exemplo, o índice de 70% demonstra o grau de endividamento da empresa.

Desta forma, sabemos que a empresa é financiada 30% com capital próprio e 70%

com capital de terceiros.


Ficou alguma dúvida? Entre em contato com nosso time de especialistas!


Leia também: Dívidas bancárias de pessoa jurídica