Dívidas bancárias de pessoa jurídica


Dívidas bancárias de pessoa jurídica

As dívidas bancárias de pessoa jurídica geralmente se iniciam enquanto as próprias empresas já estão atingindo vermelho, dado que é nessa fase que as empresas buscam empréstimos para pagar as contas em atraso.


Por vezes esse dinheiro é jogado no caixa e não é muito bem administrado. Por conta disso, quando chegam as parcelas com juros abusivos a dívida bancária se torna uma bola de neve. É preciso tentar quitar essas dívidas antes que os juros comecem a aumentar e a situação fique insustentável.


Quais as consequências de estar no vermelho?


A empresa sofre diversas consequências, como restrições e CNPJ negativado, encontrando dificuldades para abrir contas, fazer compras e alugar um imóvel, por exemplo, gerando muitos transtornos.


A negativação do CNPJ, também é um grande problema. A empresa pode perder negociações importantes, não conseguindo novos projetos, além de que estar em dívida com os bancos é um grande problema por conta do juros!


Tudo isso pode ser fatal para o seu negócio.


O que fazer a seguir?


Uma das opções que a empresa tem para sair do sufoco que é essa bola de neve de dívidas bancárias, seria um acordo de alongamento de dívida com o banco. O alongamento de dívidas é uma solução que oferece dividir grandes parcelas em pequenas parcelas a longo prazo, ajudando assim a diminuir o juros para a quitação.


“Como o montante para quitar essas dívidas é muito alto, o alongamento das mesmas tem aparecido como uma alternativa. Alongar significa aumentar o prazo das contas que precisam ser pagas, para que as parcelas fiquem mais fluídas e acabe quitando-as com menos esforço.”


Na maioria dos casos, você deve ter em mente quanto de dinheiro você tem no caixa que você pode utilizar para pagar sua dívida e assim fazer uma negociação com o banco.


Leia também: Contabilidade Gerencial - Por que ela é importante para a sua empresa?