Crise Empresarial: como renegociar sua dívida



As empresas estão sujeitas a passar por crises, imprevistos, planejamentos inadequados, decisões erradas e economia em baixa, esses são alguns dos fatores que podem levar a empresa a renegociar dívidas.

Se a sua empresa está lidando com uma dívida maior que o patrimônio, ou você quer se anteceder, venha entender como renegociar sua dívida.

Para que o endividamento da sua empresa não se torne um furacão, é importante entender como renegociar sua dívida, do contrário os juros e multas irão bater à porta com cada vez mais força.


Qual o momento certo?


O melhor momento para renegociar sua dívida é quando a empresa está com fluxo de caixa desfavorável, períodos de pagamento de impostos ou épocas em que os gastos estão mais elevados que o normal.


Outro momento em que a atenção deve ser maior, é quanto às épocas de feirões, pois, nesses eventos inúmeras empresas se reúnem para renegociar suas dívidas com seus credores. Entretanto, normalmente o vencimento da primeira parcela do pagamento costuma ter um prazo curto, ou seja, é recomendável que haja recursos suficientes para conseguir bons acordos.


4 dicas de como renegociar sua dívida:


  • Entre em contato com credores:


Além de contatar os credores é preciso haver uma boa estratégia, para isso aproveite o contato para tirar dúvidas e obter o máximo de informações, como por exemplo:


  • Quais são os juros de cada parcela;

  • O desconto oferecido sobre a dívida;

  • O valor do desconto conforme a forma de pagamento;

  • Qual o prazo para o pagamento da dívida?



  • Análise os contratos :

Antes de renegociar sua dívida, analise se o contrato não possui alguma irregularidade, como cláusulas ou taxas abusivas. Fique atento se isso pode reduzir o valor dos débitos, possibilitando assim uma quitação de dívida mais simples.


Além de que, tome cuidado para que a proposta do credor não aumente sua dívida, pois ao invés de melhorar sua situação, pode levá-lo ao fundo do poço.


  • Pesquise as condições de outros bancos:


Outra boa forma de renegociar sua dívida é mudá-la para outra instituição bancária. Para isso, pesquise quais são as taxas de juros, os prazos para pagamentos, qual a possibilidade de descontos e demais condições que outros bancos oferecem.


Através da pesquisa, você pode acabar por encontrar benefícios e melhores condições em outras instituições, mas lembre-se de negociar com seu credor atual conforme essa oferta, caso não haja acordo, mude de banco.


  • Organize-se para não errar na renegociação da dívida

Uma das melhores estratégias é se planejar. Pois de um lado temos um pleno conhecimento de todas as dívidas da empresa e do outro, considere seu faturamento mensal e calcule quais são os gastos fixos da empresa.

Sendo assim, você terá mais noção do quanto pode pagar, ao tentar renegociar sua dívida poderá oferecer uma proposta viável, sem que o pagamento da dívida acabe o endividando mais ainda.


Conheça seus direitos:


Entender como renegociar sua dívida é fundamental, mas um passo importante é compreender os seus direitos. No processo de renegociação de dívidas, o devedor é amparado pela Constituição Federal e pelo Código de Defesa do Consumidor.


Coisas como multas, juros e valores abusivos não são aceitáveis, caso isso ocorra você tem o direito de exigir o abatimento dos valores bem como a correção monetária. Além disso, práticas hostis no momento da cobrança podem ocasionar em indenização por dano moral, como ameaças, ligações fora do horário comercial ou mensagens por celular são práticas proibidas.


Outro direito no ato de renegociar sua dívida é ter o CNPJ da empresa retirado dos órgãos de proteção ao crédito, o que deve ser feito no prazo de até 5 dias depois do pagamento da primeira parcela, do acordo estabelecido na renegociação da dívida.