Cobrança Judicial? Entenda como a dívida chega a este ponto


Cobrança Judicial? Entenda como a dívida chega a este ponto.

Você sabe o que é e como acontece a cobrança judicial? Este artigo irá esclarecer as diversas dúvidas relacionadas ao processo judicial de cobrança, como por exemplo:


  • O que acontece para a dívida chegar a esse ponto?

  • O que é a Cobrança Judicial?

  • Como dar entrada no processo?

.


Procedimentos antes da Cobrança Judicial


Quando um cliente está devendo, existem diversas ações que podem ser tomadas conforme suas estratégias ou políticas de cobrança. Dentre elas, existe a cobrança preventiva que é realizada antes mesmo do vencimento da conta e a cobrança amigável que se dá após o vencimento e é onde a própria empresa negocia uma melhor forma de pagamento com o cliente.


A Cobrança Judicial acontece nos casos mais severos, quando depois de muitas tentativas o cliente não consegue quitar a dívida. É claro, ninguém fica sem pagar uma dívida porque quer, mas sim porque não encontrou uma forma de quitá-la. Mesmo com as boas intenções de quem deve, as empresas precisam receber para continuarem funcionando.


Então o que é a cobrança judicial?


Se depois de várias tentativas nenhuma das alternativas acima deu certo e um acordo entre o devedor e a empresa não foi feito, acontece a cobrança judicial. Ou seja, a cobrança passa a ser feita por intermédio da justiça.


De modo simplificado, a ação de cobrança judicial é justamente o ato de o credor processar o devedor pelas dívidas devidas e existentes entre as duas pessoas da relação. Assim, quem está devendo pode ser processado pela empresa ou pessoa que forneceu o produto ou serviço.


Como solicitar uma ação judicial?


Antes de entrar com a ação, é necessário reunir provas junto à petição inicial de cobrança que vão servir de instrumento probatório para comprovar a existência da dívida e do devido direito. Confira:


  • Documentos da empresa (CNPJ e contrato ou estatuto social);

  • Qualificação da pessoa devedora (nome, identidade, CPF e endereço completo);

  • Provas materiais da dívida e inadimplência (contrato assinado por ambas as partes, acordo efetuado sobre o pagamento, cópia de eventual cheque devolvido e de protesto em cartório);

  • Documentos que apresentam os detalhes de toda a dívida (valor das parcelas a serem pagas, datas de vencimento, taxas ou juros sobre o valor devido etc);

  • Prova da tentativa de cobrança extrajudicial.


Leia também: O que são Constrições Judiciais?